Início          Edição atual          Edições anteriores          Blog          Corpo editorial          Normas para publicação          Quem somos?          Contato         

 

Dois sonetos

Poemas de Wanderson Mendes Machado

Sobre o som do silêncio

“O que o poeta quer dizer
no discurso não cabe
e se o diz é pra saber
o que ainda não sabe”
(Ferreira Gullar. Não-coisa)

No rabisco do lápis, vai compondo
o poeta em esforço divinal,
no silêncio da vírgula, estrondo,
no silêncio do verso, carnaval

Magistral, no traçado da batuta,
o poeta ensaia uma consoante
e à mudez de uma página se escuta
o barulho de um só imenso instante

No concerto febril da letra inerte,
causa o som absurdo mais impactos
aos neurônios que aos tímpanos intactos

Muito embora do verso se desperte
tanto som, sabe o bardo sem rasura
que a poesia não cabe em partitura

* * *

A doença do poeta

Todo poeta leva n'alma a chaga
que por vezes o aflige à madrugada,
esta o desperta a recordar a amada,
a lua sobre ele inflamada o afaga

Ou escreve ou a noite será vaga,
pois brigar adianta pouco ou nada:
esta cruz que ao poeta está fadada
escolhe ele se o adoça ou se esta o amarga

E à noite tal moléstia, se o procura,
sua infame alma de poeta abriga
a poesia, que é sua própria cura

Sobre o papel, a letra se destila:
é a doença, sã, que assim o obriga
e pode enfim a alma dormir tranqüila

 

 

 

Verão 2015 / Edição amarrada em um poste

Wanderson Mendes Machado

Wanderson Mendes Machado é poeta e sonetista de Brasília. Publicou seu primeiro livro de poesia, Trôpegos Passos (2004, ed. do autor), quando tinha 18 anos, há exatamente uma década, com apoio do Fundo de Arte e Cultura da Secretaria de Estado de Cultura do DF. O primeiro livro é uma reunião de poemas de diversas estéticas, com bastante experimentação. O autor está preparando um Livro de Sonetos, que reunirá 50 poemas em português e em inglês. A estética do novo livro é clássica, com algumas pitadas de modernismo, tendo influência de sonetistas desde o século XVI até o século XX.

 

   

Raimundo • Nova literatura brasileira

Quem somos? A Raimundo abre as portas para novos autores e atores da literatura brasileira, entre contistas, poetas, tradutores e ensaístas. Criada em 2014 com proposta de ser uma revista de edição trimestral, pretende acolher obras que pouco encontraram abrigo nos ainda apertados espaços do mundo editorial brasileiro.

A revista

Edições anteriores

Blog

Corpo editorial

Nossos artistas

Autores (breve)

Colabore com a Raimundo

Normas para publicação

Contato