Início          Edição atual          Edições anteriores          Blog          Corpo editorial          Normas para publicação          Quem somos?          Contato         

 

Boa noite a TODAS

Poema avulso de Ana Barbara Neves

 

Bom dia a TODOS
Boa tarde a TODOS
Boa noite a TODOS
Ouvi desde pequena
Em casa, na sala de aula, me seguindo pelas ruas
Canalizando sentidos
Temperando começos
E tive que me incluir
Na norma culta
Da língua
Que invadia
Minha linguagem
Sendo formada ainda
Tantas bocas
Penetradas a força
Por formas no padrão deles
Tomando espaço
Como uma censura legalista
Que se veste de cuidado
Mas é fascismo disfarçado

Não se incomode, Boa noite a TODOS
Afinal isso é só um detalhe
Rápido, Boa noite a TODOS
Liberdade e afirmação
É desejo demais das histéricas
Shiiii! Boa noite a TODOS
Não tente ser tão diferente
Não reclame
Não cause estranhamento
Com trocadilhos no feminino
Vozes que sempre foram ouvidas
Só podem estar certas

Então vou falar baixinho
Como quem não quer nada
Até tentar na educação
Pra você não se assustar
Ou ficar irritado
E não se sentir incluído
Vou explicar didaticamente
Um exercício de empatia
Vou mentir que é só brincadeira
E aí talvez você deixe
Uma mulher experimentar
Mesmo sendo mulher
Acho que você homem aguenta

Ouvir sem ser do seu modo
Ouvir sem ser o seu gênero
Ouvir sem ser com seu nome
Boa noite a TODAS!

 

 

 

 

Inverno-Primavera 2016 / Edição RaimundA

Ana Barbara Neves

Você diria tudo? Ela gosta. Verdades são filhas do encontro e se enroscam com mentiras como uma só boca nos acontecimentos. Resta a escuta enquanto complexidade em transformação. Aprendeu a escrever de tanto revolver suas partes em público. Equilíbrio inusitado, ela sabe, mas necessário para a perfeita digestão. Morou a vida quase toda em Salvador e tem uma relação profunda com a cidade e suas matrizes africanas. Escreveu dois livros de literatura, enquanto escrevia uma dissertação de mestrado sobre Cultura e Análise do Comportamento, em uma cidade do interior do Texas - chamada Denton. Deixa novos olhares inaugurarem à sua volta como escritora, psicóloga, terapeuta sexual, pesquisadora e terapeuta ayurvédica. Acha que é necessário haver coerência e integridade política na expressão, principalmente nas interações sutis. Vê beleza no presente, em tudo que é feito por inteiro, da elegância matemática à união do toque. É filha de Oyá.

Página da autora

apalavraflora.blogspot.com.br

 

 

 

 

 

 

 

   

Raimundo • Nova literatura brasileira

Quem somos? A Raimundo abre as portas para novos autores e atores da literatura brasileira, entre contistas, poetas, tradutores e ensaístas. Criada em 2014 com proposta de ser uma revista de edição trimestral, pretende acolher obras que pouco encontraram abrigo nos ainda apertados espaços do mundo editorial brasileiro.

A revista

Edições anteriores

Blog

Corpo editorial

Nossos artistas

Autores (breve)

Colabore com a Raimundo

Normas para publicação

Contato